Presidente guineense diz que não precisa de autorização de ninguém para visitar aRússia

da sport bet brasilSiga aqui o liveblog sobre a Guerra na Ucrânia

da aposte bet: O Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, afirmou esta segunda-feira que não precisa de autorização de ninguém para visitar a Rússia ou qualquer chefe de Estado.

“Não preciso de autorização de nenhum outro país ou Presidente da República para visitar a Rússia ou onde quer que seja. Eu sou soberano. É como não vou aceitar também que um Presidente me peça autorização para visitar o Senegal. Isso não”, observou Embaló.

O Presidente guineense respondia à Lusa à margem das festividades do 14.º aniversário da Guarda Nacional, onde discursou.

No seu discurso alusivo à ocasião, Umaro Sissoco Embaló afirmou ter escutado os comentários “de um deputado português”, a quem “perdoa”, quando este questionava a sua visita à Rússia.

“A Guiné-Bissau é um Estado soberano e independente”, disse Embaló, salientando que sabe o que é bom para a política externa do país.

[Já saiu o primeiro episódio de “Matar o Papa”, o novo podcast Plus do Observador que recua a 1982 para contar a história da tentativa de assassinato de João Paulo II em Fátima por um padre conservador espanhol. Ouça aqui.]

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na passada quinta-feira, o deputado da Iniciativa Liberal Rodrigo Saraiva justificou o pedido de presença do ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Rangel, no parlamento, alegando que Portugal não se pode manter “surdo e mudo” perante o que se está a passar ao nível da política externa de vários Estados-membros da CPLP.

Rodrigo Saraiva referiu, em particular, o acordo militar assinado por São Tomé e Príncipe com a Rússia e a visita de Sissoco Embaló a Moscovo, onde participou nas celebrações do chamado Dia da Vitória, afirmando que a Guiné-Bissau “se prepara para fazer um acordo de cooperação militar” com as autoridades russas.

Questionado pela Lusa sobre se assinou algum acordo com Vladimir Putin, o Presidente guineense disse que os dois países já tinham Acordo de Quadro Geral, que se mantém “sempre intacto” e que, de vez em quando, é revisto, apenas através de processos verbais, em todas as áreas.

“Neste momento temos mais de 100 oficiais militares em formação na Rússia, em Frunzi, e noutras academias militares. Agora pedimos que nos formem as nossas forças especiais”, adiantou Embaló, referindo-se às conversações que manteve com Vladimir Putin.

O líder russo apresentou ao Presidente guineense os responsáveis de várias repúblicas da federação russa, nomeadamente do Tartaristão, que Embaló visitou e do qual recebeu a promessa de formação de quadros nas áreas do petróleo e da engenharia naval.

Umaro Sissoco Embaló disse que só não visitou mais repúblicas da federação russa por se ter deslocado àquela zona do mundo “num avião emprestado”.

O Presidente guineense anunciou que, ainda este ano, irá realizar uma visita de Estado à Rússia.