Dorival diz convocar seleção pelo momento, o que é uma meia-verdade

O Mundo É uma Bola Salvar artigos

Recurso exclusivo para assinantes

assine ou faça login

Luís Curro

Descrição de chapéu Seleção Brasileira Dorival diz convocar seleção pelo momento, o que é uma meia-verdade Há outros jogadores em fase melhor que a de Beraldo, Militão e Martinelli, atualmente sem grande destaque em seus clubes
  • benefício do assinante

    Você tem 7 acessos por dia para dar de presente. Qualquer pessoa que não é assinante poderá ler.

    benefício do assinante

    Assinantes podem liberar 7 acessos por dia para conteúdos da Folha.

    Já é assinante? Faça seu login ASSINE A FOLHA

    • Copiar link
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

12.mai.2024 às 12h28

  • Ouvir o texto

Luís Curro

“Para nós não importa idade, não importa clube, não importa qualquer outra situação que não seja o momento de cada atleta, a condição em que esteja e a entrega que possa apresentar.”

No começo da entrevista na sede da CBF, no Rio, em que respondeu a questionamentos de jornalistas acerca da convocação da seleção brasileira para dois amistosos e a Copa América, Dorival Júnior assim justificou a formação da lista.

Só que isso, “momento” e “condição” atuais, não são verdades completas. Em relação à ampla maioria, sim, porém percebe-se a presença de nomes que, de acordo com esses critérios, não deveriam aparecer –não agora.

Cito três: os zagueiros Éder Militão (Real Madrid) e Beraldo (Paris Saint-Germain) e o atacante Gabriel Martinelli (Arsenal).

Considero, frise-se, esses jogadores muito bons, e Militão, 26, tem a vantagem de atuar, caso necessário, na lateral direita, com eficiência.

O beque do Real Madrid, entretanto, está longe de estar em um momento bom depois de uma longa recuperação de lesão no joelho que o deixou meses afastado do futebol.

Ainda fora de sua melhor condição física e técnica, o ex-são-paulino está voltando aos poucos ao supertime comandado por Carlo Ancelotti, finalista da Champions League.

Mais um ex-são-paulino, Beraldo, 20, é outro que, apesar de ter atuado em alguns jogos como titular do PSG, serve mais como opção de banco –o técnico Luis Enrique prefere Marquinhos e Lucas Hernández.

O ponta-esquerda Martinelli, 22, fora do Brasil desde 2019 (defendia o Ituano-SP), perdeu essa posição no Arsenal, que luta pelo título do Campeonato Inglês contra o Manchester City, para o belga Trossard na equipe dirigida por Mikel Arteta.

Colunas e Blogs

Receba no seu email uma seleção de colunas e blogs da Folha

Carregando…

Assim como Militão, Beraldo e Martinelli estão distantes do melhor momento. Há outros em suas posições mais merecedores, hoje, de estar na seleção.

Na zaga, Bremer (Juventus, da Itália) e Fabrício Bruno (Flamengo), por exemplo. Este último, inclusive, jogou bem nos amistosos de março diante de Inglaterra (vitória) e Espanha (empate).

No ataque, até porque Dorival chamou outros pontas pela esquerda (Vinicius Junior e Savinho), por que não levar, em vez de Martinelli, um centroavante como Pedro (Flamengo), já que não há um homem de área na lista?

Ou então Paulinho, do Atlético-MG, que depois de perder rendimento está bem novamente? Ou Junior Santos, do Botafogo, que tem brilhado na Libertadores?

Meu entendimento é que Dorival não considera somente o momento do atleta para levá-lo para a seleção. Há outros fatores envolvidos, e OK considerá-los.

Em relação a Militão, além de ter experiência de Copa do Mundo (Qatar-2022), o treinador acredita que, como ainda faltam algumas semanas para os amistosos contra México e EUA, e mais de um mês para o início da Copa América, o jogador poderá estar em ótima forma.

Em relação a Beraldo, trata-se claramente de uma questão de crédito. O jogador esteve sob comando de Dorival no São Paulo, ajudou muito na conquista da Copa do Brasil de 2023. O técnico confia plenamente no futebol dele.

Em relação a Martinelli… A mim, falta explicação contundente, gostaria de ter uma do Dorival. O histórico de ter participado de uma Copa ajuda? Possível. Estar no futebol inglês, o mais badalado da atualidade, ajuda? Provável.

Mas, no Qatar, o papel dele foi irrelevante. E, na Inglaterra, uma temporada de altos e baixos, bem inferior à anterior, não contribui para propagandeá-lo.

Nesse caso, longe da boa fase e sem um currículo sólido/convincente, fica difícil justificar. Resta concluir que, relendo a frase do início deste texto, Martinelli seja um jogador de “entrega” excepcional.

LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

  • benefício do assinante

    Você tem 7 acessos por dia para dar de presente. Qualquer pessoa que não é assinante poderá ler.

    benefício do assinante

    Assinantes podem liberar 7 acessos por dia para conteúdos da Folha.

    Já é assinante? Faça seu login ASSINE A FOLHA

    • Copiar link
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

sua assinatura pode valer ainda mais

Você já conhece as vantagens de ser assinante da Folha?Além de ter acesso a reportagens e colunas, você conta com newsletters exclusivas (conheça aqui).Também pode baixar nosso aplicativo gratuito na Apple Store ou na Google Play para receber alertas das principais notícias do dia.A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade. Obrigado!

sua assinatura vale muito

Mais de 180 reportagens e análises publicadas a cada dia. Um time com mais de 200 colunistas e blogueiros. Um jornalismo profissional que fiscaliza o poder público, veicula notícias proveitosas e inspiradoras, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE POR R$ 1,90 NO 1º MÊS

  • Veja outros artigos desse blog
  • Envie sua notícia
  • Erramos?

Endereço da página

  • https://www1.folha.uol.com.br/blogs/o-mundo-e-uma-bola/2024/05/dorival-diz-convocar-selecao-pelo-momento-o-que-e-uma-meia-verdade.shtml
Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Termos e condições Todos os comentários Comente Comentar é exclusividade para assinantes.
Assine a Folha por R$ 1,90 no 1º mês
Compartilhar

  • Facebook
  • Twitter

Responda Denuncie