Como truque do Fusca ajuda carros da Tesla a carregarem mais rápido

da tabela blackjack: Quem já teve ou tem um VW Fusca sabe que o motor pode simplesmente parar quando a bobina da ignição esquenta muito. E também sabe que isso pode ser facilmente resolvido ao colocar uma toalha molhada ao redor da bobina. Pois essa mesma estratégia pode ajudar os carros da Tesla a carregarem mais rápido.

  • Relacionadas
  • NotíciasTesla lança marreta para destruir a picape Cybertruck – ou quase isso
  • Carros elétricos‘Tesla chinesa’ se une à BYD para criar marca de carros elétricos baratos
  • Carros elétricosNovo Tesla Model 3 Performance fica mais esportivo e chega aos 517 cv

da bingo ao vivo: De acordo com o site InsideEVs, algumas estações de recarga Tesla Supercharger funcionam melhor quando coloca-se um pano úmido em volta do conector de carregamento.

Acontece que tanto os carregadores quanto as baterias dos carros elétricos têm sensores para monitorarem suas respectivas temperaturas em tempo real, e tanto o calor quanto o frio extremo fazem com que a potência da recarga seja reduzida para evitar o desgaste acentuado dos seus componentes. E isso aparenta ser um problema e tanto para certas estações de carregamento da Tesla mais antigas.

O truque da toalha molhada vem senso usado nos Supercharger de segunda geração. Estas estações ainda utilizam cabos sem arrefecimento líquido, o que os torna mais sensíveis ao calor do que os carregadores de terceira geração. Então os usuários estão envolvendo as tomadas de carregamento para aliviar o calor. Aparentemente, funciona muito bem,

Em campo, o InsideEVs apresentou alguns exemplos de carregamento com e sem os panos molhadas para resfriar os cabos. Em um dos casos, numa estação Supercharger V2, a capacidade de recarga foi de 60 kW para 95 kW, ao colocar a toalha molhada. Outro proprietário de Tesla experimentou o mesmo, e teve um salto de 58 kW para 119 kW na potência de carregamento.

Vale ressaltar que o truque parece não funcionar em estações de carregamento Tesla Supercharger V3, que são mais atualizadas e já possuem sistema de resfriamento dos cabos. Mas vale ressaltar que estas estações de recarga costumam ficar ao ar livre e têm proteção para evitar que a água acesse os conectores, então não há riscos em usar um pano úmido ao redor do conector.

Compartilhe essa matéria via:WhatsAPPTelegram

Além disso, os veículos também possuem sensores de segurança que monitoram a temperatura durante o carregamento, podendo ser interrompido automaticamente caso tenha algum problema. As tecnologias evoluem, os veículos são completamente diferentes do que os mais antigos, como o Fusca, mas os macetes para consertar ou melhorar o seu desempenho permanecem os mesmos.

Publicidade
Quatro Rodas no YouTubeBYD DOLPHIN MINI peca na suspensão, mas É MELHOR que o Dolphin?


O BYD Dolphin Mini enfim está à venda no Brasil. Custa R$ 115.800 e tem R$ 10.000 de desconto para quem havia entrado na pré-venda no início desta semana. Nós já fizemos o teste completo, mas também aproveitamos a ocasião para um confronto com seu irmão maior, o BYD Dolphin. Confira!

  • Mais lidas

1Carros usados Honda Civic G10 tem espaço e desempenho e é mais barato que City novo2Especial Cinco motivos para você apostar no Bigmalismo do Novo Chevrolet Spin3Notícias VW T-Cross 2025 estreia lanterna toda iluminada e parte dos R$ 142.9904Carros elétricos Como truque do Fusca ajuda carros da Tesla a carregarem mais rápido5Testes VW Virtus TSI manual é muito divertido e faz quase 20 km/l